Sobre

!Enfrenta! é um projeto de mapeamento e pesquisa de coletivos que provocam o status quo, buscando alternativas de ação, de gestão ou de tecnologias que atuem nas brechas do consumismo desenfreado e vazio. São iniciativas que buscam na colaboração, no artivismo, na arquitetura de guerrilha, na intervenção urbana, na horizontalidade, no pensamento crítico, nas cooperativas, no software livre e na cultura hacker energia para realizar ações que criticam o sistema dominante (econômico, social, cultural, ambiental) e, às vezes ao mesmo tempo, propõem alternativas para sua transformação.

O objetivo de Enfrenta! é identificar algumas destas iniciativas e entender como elas funcionam, como enfrentam essa dominância e de que jeito fazem isso. Nosso primeiro mapeamento levantou 50 iniciativas, das quais 27 vamos entrar em contato para entrevistar A Espanha foi o local escolhido por ser, dentre os países da ibero-américa, aquele que acreditamos concentrar a maior quantidade de projetos instigadores que estão criando novos caminhos, em especial depois da crise de 2013 e a partir do 15M.

O projeto é uma iniciativa do coletivo brasileiro BaixaCultura, em parceria com o espanhol Zemos98. Será desenvolvido na Espanha em forma de intercâmbio a partir do apoio do IberCultura Viva, um programa de cooperação intergovernamental para o fortalecimento das culturas de base comunitária dos países ibero-americanos, e com o Fotolivre.Org na produção web e audiovisual da documentação do projeto.

*

BaixaCultura é um coletivo criado em 2008 que concentra suas atividades na informação, divulgação e discussão de conceitos, acontecimentos e propostas ligadas à cultura livre e  à (contra) cultura digital. Já realizou oficinas de cultura livre e guerrilha da comunicação e mostras de filmes em São Paulo, Ribeirão Preto, Joinville, Brasília Santa Maria e Porto Alegre. Foi contemplado pelos prêmios da Secretaria Municipal de São Paulo (ProAC, 2011) e do programa IberCultura Viva (2016) de intercâmbio entre agentes culturais dos países ibero-americanos. Em 2010 lançou seu selo de publicações com o livro “Efêmero Revisitado: conversas sobre teatro e cultura digital”, de Leonardo Foletto, que trata da discussão sobre teatro e tecnologia através dos tempos e conta com entrevistas com grupos e pesquisadores que estão experimentando nesse fazer. Os zines “Pequenos Grandes Momentos da História da Recombinação: Deturnamento” (2015) e “La Remezcla” (2016) são as outras publicações do selo. Foi um dos coletivos coordenadores do primeiro Congresso de Gestão Cultural Online (#Gcultural2016), que reuniu mais de 40 coletivos da ibero-américa entre setembro e outubro de 2016. Faz parte do hackerspace Matehackers, do Ônibus Hacker e de outras redes.

ZEMOS98 é uma iniciativa que trabalha e investiga a cultura livre, a inovação social e as narrativas contemporâneas. Organizou, durante 17 anos, o Festival ZEMOS98, uma referência internacional em temas relacionados com cultura digital e experimentação narrativa. Coordena a rede internacional Doc Next Network: uma comunidade de agentes em todo o Reino Unido (Future Film Programm del British Film Institute), Turquia (Mode Istanbul), Polonia (Association of Creative Initiatives “ę”) e Holanda (European Cultural Foundation), com a qual tem desenvolvido inúmeros projetos. Pesquisou e editou numerosas publicações, tanto online (www.EMBED.at, www.copylove.cc) como em forma de livros: “Creación e Inteligencia Colectiva” (2005), “La televisión no lo filma” (2006), “Cultura digital y comunicación participativa” (2006), “Panel de control: interruptores críticos para una sociedad vigilada” (2007), “Código Fuente: La remezcla” (2009), e  “Educación Expandida” (2012). Atualmente, desenvolve projetos como “Macarena Remedia” (uma intervenção no bairro Macarena para fomentar a alfabetização midiática e digital), Comunicacción (um programa formativo destinado a criar meios de comunicação em institutos), Iuventus.TV (TV por Internet sobre as prácticas culturais dos jovens andaluzios) e outros de menor escala, além de conferências e oficinas.

FotoLivre: Projeto de experimentação virtual e presencial que reúne pessoas e iniciativas interessadas em usar da fotografia como tema agregador para diversas ações, como processo e como produto. Por meio de atividades de aprendizado coletivo sobre o uso da fotografia na educação, na cultura, na arte, na mídia, nas lutas sociais e além, experimentamos hardwares e softwares de captura, edição e publicação, promovendo o livre compartilhamento do conhecimento e do uso de ferramentas livres. A atuação do FotoLivre é guiada pelas linhas da tecnologia, inovação, cultura e arte, embora adentre nos terrenos das pautas políticas e sociais com muito interesse. A proposta é que os produtos que a livre circulação do conhecimento vier a gerar também sejam livres. O projeto tem o atual arranjo desde 2015, porém já realizava suas ações desde 2013, atuando dentro de outras organizações como Casa da Cultura Digital Porto Alegre, Associação Software Livre, Fórum Internacional Software Livre, Matehackers, BaixaCultura, ShareFest Porto Alegre, MariaLab, Beira Movida Editorial e Creative Commons Uruguai. O FotoLivre apóia o !Enfrenta! com a produção web e audiovisual da documentação do projeto.